Mulheres da CUT e sindicatos filiados integram ala Lula Livre do 8 de março

 

Em ritmo de carnaval, as mulheres do Distrito Federal realizarão o Cortejo do Dia Internacional de Luta das Mulheres, no 8 de março. As mulheres da CUT Brasília e dos sindicatos de base integrarão a ala Lula Livre. A atividade será realizada na Esplanada dos Ministérios, com concentração às 16h, no gramado da rodoviária do Plano Piloto.

 

Tocador de vídeo

“A ala Lula Livre tem como mote a defesa da democracia, da liberdade e dos direitos. Sem essas garantias, nós mulheres não conseguiremos avançar na conquista de salários iguais aos dos homens, creches públicas para nossos filhos, trabalho digno, uma Previdência que não seja excludente. Recuaremos inclusive no direito de sermos dona do nosso próprio corpo, pauta que, infelizmente, está fragilizada diante do governo ultraliberal, machista e misógino de Bolsonaro. Sem democracia, liberdade e direitos, continuaremos sendo mortas pelo simples fato de sermos mulheres. Lula tornou-se uma ideia: a ideia de que a gente não pode ser soterrado por interesses escusos de fascistas e gananciosos de plantão. Temos que ter emprego, dignidade, lazer, saúde, educação e tantas outras coisas. Temos o direito de ser feliz. E enquanto Lula estiver preso, estarão também encarceradas pautas históricas do movimento de mulheres”, afirma a secretária de Mulheres da CUT Brasília, Sônia de Queiroz.

 

O Cortejo do Dia Internacional de Luta das Mulheres está sendo construído por mais de 90 organizações e coletivos ligados à luta das mulheres. Neste ano, o ato tem como lema “Pela vida de todas as mulheres, resistiremos!”, que denunciará o aumento dos números crescentes de feminicídio (assassinato de mulheres pelo fato de serem mulheres) e os ataques aos direitos sociais e trabalhistas. Questões como o repúdio à reforma da Previdência de Bolsonaro, o fim do genocídio de indígenas e quilombolas, a valorização da Lei Maria da Penha e da Casa da Mulher Brasileira, o poder de decisão da mulher sobre o próprio corpo, a revogação da reforma trabalhista, o fim do desmonte da saúde pública, além da luta pelo desarmamento e por justiça para Marielle Franco – executada em março de 2018 –, são algumas das bandeiras levantadas pelas mulheres.

 

Tocador de vídeo

A atividade será composta por várias alas, que serão animadas por batuqueiras, cirandeiras, artistas circenses e outras atrações. Além da ala Lula Livre, também haverá a ala Justiça para Marielle, a ala Noiva Cadáver (contra o feminicídio), a ala LesBiTrans (LGBTI), a ala Feminismo Popular e várias outras.

 

Ainda na concentração do ato, serão realizadas falas políticas e intervenções culturais. Um grupo de mulheres transitará na rodoviária do Plano Piloto para dialogar com a população sobre a pauta levantada pelo Cortejo e convidar mulheres e homens a se somarem ao ato.

 

“É essencial que todas as mulheres da CUT e dos sindicatos filiados participem desse ato. Estamos em um momento caótico, em que todos os nossos direitos estão sendo colocados na beira do abismo por um governo sem qualquer compromisso com o povo. Temos que mostrar nossa voz e nossa força”, convoca a secretária de Mulheres da CUT Brasília.

 

Serviço
Cortejo do Dia Internacional de Luta das Mulheres

Data: 8 de março
Concentração: 16h, no gramado da rodoviária do Plano Piloto
Saída do Cortejo: 18h
Trajeto: Marcha pela Esplanada dos Ministérios até a Alameda das Bandeiras; finalização do ato na Praça dos Prazeres (201 Norte)

 

Mais informações: https://www.facebook.com/8demarcounificadas/

http://www.cutbrasilia.org.br/site/2019/02/28/mulheres-da-cut-e-sindicatos-de-base-integram-ala-lula-livre-do-8-de-marco/

Fonte: CUT Brasília