Por Imprensa Sindiserviços-DF – Robson Silva

À volta as aulas, que é motivo de alegria para milhares de crianças matriculadas na rede pública de ensino no Distrito Federal (DF), tem sido motivo de tristeza com novo atraso no pagamento dos salários, tíquete alimentação e vale transporte para milhares de trabalhadores terceirizados na limpeza, conservação e merenda escolar da rede pública de ensino.

 

Os vencimentos de janeiro já deveriam ter sidos creditados desde o ultimo dia 6 passado, quinto dia útil do mês, para aproximadamente três mil empregados da Empresa Juiz de Fora e cerca de dois mil empregados da Empresa Servegel, responsáveis pela limpeza e conservação de várias escolas públicas no DF. Também estão sem receber os vencimentos, quase mil empregados da Empresa G & E Serviços responsáveis pela merenda escolar.

 

Mesmo com as insistentes cobranças feitas pela direção do Sindiserviços-DF, sindicato que representa a categoria, que notificou as empresas quanto à possibilidade de greve a partir da próxima quinta-feira 14, as empresas ainda não se manifestaram quando vão quitação a divida com seus empregados.

 

A Secretaria de Estado da Educação (SEE/DF) também foi notificada quanto ao novo atraso salarial e sobre a possibilidade de greve. Porem, segundo o sindicato, os representantes do governo nada disseram até o momento.

 

A direção do sindicato ressalta que são recorrentes há anos os atrasos salariais, o que tem levado muitos profissionais ao adoecimento, por não conseguirem pagar as suas dividas e serem penalizados com pesada carga de juros, sem que sejam ressarcidos do prejuízo.

 

Os diretores denunciam que os trabalhadores são constantemente constrangidos por serem obrigados a terem que organizar movimento paredista para reivindicar os seus direitos que estão sendo desrespeitados, conforme determina a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT).